Buscar
  • Fabiano Garcia de Borba

Não somos todos iguais

Existem diversas histórias de sucesso por aí. Sabe o que elas têm em comum? Praticamente nada! Pelo simples fato de que cada história é uma jornada pessoal. O que serve para você pode não servir para mim. Os mesmos passos que levaram alguém ao sucesso podem deixar outra pessoa extremamente infeliz.


Quantas vezes por dia você vê alguém com a nova promessa, a nova técnica para mudar de vida? Com certeza estas técnicas diziam que tudo que você aprendeu até hoje, toda a experiência que colecionou durante anos não valia nada. Será mesmo?


Com certeza, todas essas promessas de uma nova carreira, de um novo caminho tornava o seu próprio caminho errado. Você já se questionou o quanto essas pessoas realmente sabiam sobre você, seus passos e suas escolhas?


Se você já passou por isso, tenho duas boas notícias: a primeira é que você já sabe o que não quer. Não quer promessas falsas nem seguir caminhos que não tem nada a ver com suas competências, suas aptidões, e principalmente com a sua história.


A segunda boa notícia é que, se uma promessa miraculosa desperta mais desconfiança do que interesse em você, é porque você já se conhece. Sabe a imagem que tem de si mesmo. E mais ainda: a imagem que você tem de alguém que desqualifica a caminhada de outras pessoas não deve ser muito boa. Afinal de contas, é justo avaliar as escolhas do outro através dos seus próprios valores e percepções?


Nas redes sociais todo dia há um novo post julgando pessoas que escolheram se dedicar a construir carreira dentro de alguma organização. Como se todos tivessem a obrigação de se tornarem empresários ou empreendedores. Trabalhar em uma empresa não significa estar na zona de conforto.


Troque o julgamento pela reflexão. Deixe de apontar o dedo e preste mais atenção em si mesmo. No que faz sentido para cada um. Para que suas escolhas façam sentido, você precisa respeitar a dos outros.


Existem grandes profissionais com carreiras maravilhosas dentro de grandes organizações. Trabalhar para alguém não é demérito algum, milhões de talentos nascem dentro de grandes organizações e permanecem nelas realizados por toda vida.


A zona de conforto pode estar em uma empresa, em um funcionário, ou para onde quer que uma pessoa vá. Você não precisa rotular ou ser rotulado. Você só precisa escolher. Fazer determinadas coisas, porque os outros fazem, terá um preço. E você precisa avaliar se o preço cobrado está de acordo com o que você está disposto a pagar. A vida é uma negociação.


Escolher o caminho a seguir e como se preparar só depende de conhecer as suas próprias competências. Você é o fator x na sua caminhada. E equilibrar seus conhecimentos, habilidades, atitudes, valores e entrega é o que vai fazer a diferença. Não se pode buscar algo novo esperando resultados diferentes sem conhecer seus pontos fortes e fracos.


Seja você o norte da sua vida. Muitas pessoas se dizem empreendedoras e não sabem sequer a diferença entre empresário e empreendedor. Abrir um negócio não significa que está tomando um rumo na sua vida.


Não espere a aposentadoria para trabalhar com o que gosta. Busque se desenvolver, amplie sua visão, e assim que tiver certeza do que você quer, comece na primeira oportunidade possível. Seu principal case de sucesso é a sua vida.


Não somos todos iguais. AINDA BEM!


Por Fabiano Garcia de Borba




147 visualizações